“Vamos perder miúdos para a pandemia”

0
20

O presidente do Clube Desportivo de Loureiro (CDL), António Cabral, confessou, em entrevista ao programa ‘Desporto em Análise’, que o contexto pandémico e a falta de diretrizes têm dificultado o trabalho do clube. “Esta incerteza tem afastado os miúdos do futebol, vamos perder miúdos para a pandemia”, explicou.

“Os treinos que estamos a ter é quase de exercitação individual”, começou por dizer o presidente no programa ‘Desporto em Análise’, ainda no passado mês de dezembro, explicando que os “treinadores têm tido uma ginástica, em termos de planificação de treino” com exercícios que “jamais” conseguiriam “imaginar possíveis no futebol”, concretizou. Esta estratégia é com o intuito de manter os jogadores “entretidos e motivados”, mas que com o tempo “esgota-se”, afirmou António Cabral.
Tendo terminado a época passada com 143 atletas depois de um final de temporada conturbado devido à pandemia e, estando parado desde o final de outubro, António Cabral prevê, na próxima época, uma redução para os 120 jogadores. Ainda assim, o presidente avança que a saúde dos seus atletas está em primeiro lugar e só voltarão à competição assim que se reúnam condições.
A par desta realidade, os problemas financeiros agravam-se, sobretudo com a impossibilidade de realizar eventos e atividades, já costume do clube. “Não temos receitas, também não tínhamos nos outros anos, nós arranjávamos forma de fazer essas receitas”, confirmou António Cabral, ao avançar que canalizavam o dinheiro conseguido para o pagamento do relvado sintético, para o qual faltam 25 mil euros. Reajustado o plano de pagamentos, o futuro do clube depende da generosidade das pessoas, através de campanhas, como a que realizaram no Natal.
Quanto ao início do campeonato, o presidente sugeriu que as equipas de formação realizassem “encontros mensais”, estratégicos geograficamente, uma semana em cada sítio. “Não precisa de ser competitivo, só para darem uns chutos na bola”, disse ao sugerir que se pudessem vender bebidas para que os clubes pudessem ter alguma fonte de receita.

Américo Amorim vai treinar a equipa feminina
A equipa de formação feminina, uma aposta que já vinha a ser trabalhada há cerca de três anos pelo clube, “estava muito reforçada”, anunciou o presidente do Clube Desportivo de Loureiro, António Cabral. “Conseguimos captar um treinador jovem, Américo Amorim, com uma ideia de formação muito vincada e uma apetência muito grande para trabalhar com meninas”, acrescentou o dirigente máximo do clube.
O objetivo era criar uma equipa sénior feminina a competir em Loureiro em três anos, mas dada a conjuntura terão de “amputar etapas” para o conseguir, segundo confessou o presidente.