“Queremos cimentar a nossa Oliveirense na Liga”

Diretor desportivo, kadu Borges, e capitão Oliveira em entrevista

0
197

O diretor desportivo da União Desportiva Oliveirense – Futebol SAD, Kadu Borges, e o capitão de equipa, António Oliveira, explicaram, numa entrevista exclusiva nos estúdios da Azeméis FM/TV, as batalhas que o clube tem enfrentado nos últimos tempos, sendo que a última palavra na entrevista foi dirigida aos adeptos, de quem sentem falta devido às circunstâncias pandémicas.
Marta Cabral
“Sou um diretor desportivo muito feliz na Oliveirense e muito desafiado pelo projeto”, afirmou Kadu Borges, realçando a paixão pelo país e pelo futebol que se pratica em Portugal. “A minha formação no Brasil foi influenciada pelo que é desenvolvido em futebol na Universidade do Porto e, por isso, vim aqui ‘beber’ diretamente da fonte”, brincou, declarando que é com “alegria” que vê a influência do futebol português no Brasil, dado que “engrandece” o que se tem construído no futebol brasileiro. Pouco tempo depois do convite da instituição para ser diretor técnico, Kadu Borges descobriu que o bisavó nasceu em Oliveira de Azeméis. “Gosto da cidade e sinto-me ainda mais ligado pelo facto de ter cá raízes familiares”, contou.
Apesar da origem brasileira, Kadu Borges enfatizou que não ‘vê’ as certidões de nascimento dos atletas. “São todos atletas que representam muito bem este clube, o seu escudo e a sua camisa”, considerou, sublinhando a importância do bom caráter dos jogadores. “O António Oliveira é um exemplo para os mais novos e para os atletas que se estão a adaptar. Do alto dos seus 36 anos, treina como um garoto, tem paixão pelo que faz, identifica-se com o clube, tem uma relação clara e frontal com todos e é uma mais valia”, avaliou o diretor desportivo. Na opinião do portador da camisola número 22, o grupo em si é “bom, unido e trabalha diariamente para o mesmo objetivo”, apesar da consciência que a primeira volta não está a correr da maneira que desejariam. “Queremos fazer um campeonato mais tranquilo e cimentar a nossa Oliveirense na Liga”, descreveu António Oliveira. “Estamos todos de acordo que na segunda volta temos que melhorar”, garantiu o atleta, que é natural de Oliveira de Azeméis.
Ainda segundo o jogador da Oliveirense, as próximas ações passam por corrigir o que está para trás, olhar em frente e pensar no jogo seguinte. “Os treinadores fazem a diferença, até porque a Oliveirense tem melhorado bastante”, considerou António Oliveira, acrescentando: “É um dos grandes sucessos da formação e, por isso, a Oliveirense está bem servida”. Quando questionado pelo surto de Covid-19 que existiu no plantel oliveirense, o diretor desportivo valorizou os atletas que precisaram de “se superar a si próprios” para que conseguissem “reverter uma questão tão negativa”. “Há a questão desportiva e de saúde em função das ausências mas, em suma, os jogadores portaram-se muito bem”, refletiu Kadu Borges, avançando que o vírus pode ter contribuído para o que tem acontecido nos últimos jogos disputados pelo clube. “Sem dar desculpas, mas não é fácil um atleta de alto rendimento estar durante 12 dias em desfasamento em relação à sua realidade física”, explicou.
Apesar das adversidades, Kadu Borges garantiu que a equipa médica da Oliveirense é uma estrutura “bem adequada às necessidades” da instituição, desde psicólogos até fisioterapeutas. “É um trabalho que tem funcionado de forma afinada”, elogiou. A União Desportiva Oliveirense está classificada com quatro estrelas pela Federação Portuguesa de Futebol e o diretor desportivo adiantou, ainda, que outra das ambições do clube passa por alcançar as cinco estrelas de excelência.

 

Kadu Borges garante “continuidade” da construção da época
Kadu Borges é Carlos Eduardo da Silva Borges, tem 42 anos e veio para a Oliveirense – Futebol SAD para ocupar a vaga após a contratação de Caio Zanardi para treinador do Khorfakkan. Kadu, como é habitualmente tratado, continua a ter uma ligação permanente com Caio Zanardi, que assume o papel de diretor internacional da SAD.
“Vou dar continuidade a toda a construção da época que foi idealizada pelo Caio e pela SAD. Estou em conexão permanente com ele para podermos alcançar todas as metas traçadas. Queremos atingir uma classificação que nos dê conforto e a partir daí sonhar com metas mais ousadas neste competição”. Kadu Borges, licenciado em Educação Física e com Pós-Graduação em Administração e Marketing Desportivo, afirma o que sente sobre a chegada à Oliveirense: “É um grande projeto da SAD, muito sério, muito ambicioso e que me seduziu. As perspetivas de crescimento profissional e de evolução do projeto são muito boas e fazem-me crer que vamos alcançar os nossos objetivos”.
O último clube onde Kadu esteve foi o Clube de Regatas do Flamengo na função de Coordenador Técnico Geral da Formação, com a responsabilidade de fazer a ligação para o plantel principal. Botafogo e Audax RJ são outras experiências profissionais do diretor desportivo que, curiosamente, tem bisavós paternos naturais de Oliveira de Azeméis.