Quatro pontos a voar entre São João da Madeira e Turquel

Oliveirense consentiu empates com adversários do fundo da tabela

0
25

No espaço de uma semana, a Oliveirense atrasou-se na luta pelos primeiros lugares depois de não ir além de empates, ambos a quatro bolas, nas deslocações a São João da Madeira, na quarta-feira, e a Turquel, no sábado.
No jogo em atraso da 18ª jornada, a formação de Oliveira de Azeméis até esteve por duas vezes na frente do marcador, mas não conseguiu segurar a vantagem após uma boa reação da Sanjoanense. Vítor Hugo (5’) e Jorge Silva (13’) colocaram a Oliveirense a vencer por 0-2, mas até ao intervalo a formação de Vítor Pereira deu a volta ao marcador com um bis de Pedro Cerqueira, no espaço de dois minutos, e um golo de Hugo Santos (21’). Na segunda parte, a equipa unionista voltou a colocar-se na dianteira do marcador por intermédio de Vítor Hugo aos 29’ e dois minutos depois Marc Torra, na recarga a um livre direto, fez o 3-4. A Oliveirense voltou a ter o ‘pássaro na mão’, mas aos 33’ Pedro Cerqueira assinou um hat-trick na transformação de um penálti e empatou a partida.
Em Turquel, o ‘filme’ repetiu-se numa partida em que, no final, a Oliveirense teceu duras críticas à atuação da dupla de arbitragem composta por Luís Peixoto e Ricardo Leão, da Associação de Patinagem de Lisboa. Jorge Silva deu vantagem à Oliveirense logo aos 37 segundos e, pouco depois, Marc Torra ampliou a vantagem de livre direto, mas ainda antes do descanso o Turquel restabeleceu a igualdade. Após o intervalo, a equipa de Paulo Pereira voltou a distanciar-se com um bis de Vítor Hugo no espaço de um minuto, mas que não garantiu o triunfo, já que a equipa da casa reagiu e chegou ao empate com um golo de penálti e outro de livre direto. No último minuto do jogo, Nélson Filipe negou o golo, num livre direto, ao Turquel.

 

COMUNICADOS

Oliveirense denuncia agressão
A chegada da Oliveirense a São João da Madeira ficou marcada por problemas com adeptos da casa. Num comunicado emitido no final do jogo, a Oliveirense revelou-se “profundamente chocada” com a “emboscada” de que foi alvo à porta do pavilhão da ADS, contando que “cerca de 20 adeptos concertaram ações violentas que colocaram em causa a integridade física dos atletas e staff da Oliveirense”. O clube referiu que os adeptos da casa “entoaram cânticos insultuosos, arremessaram objetos contra o autocarro da União, fizeram rebentar engenhos explosivos, pontapearam o material que os jogadores transportavam e, ainda mais grave, um dos nossos atletas foi agredido ao murro e outros foram alvo de objetos atirados na direção da equipa”.
O comunicado refere ainda que “a PSP estava avisada da chegada da UDO ao Pavilhão da ADS, tendo sido solicitada a sua presença. Mas, a PSP não compareceu no local à hora prevista, tendo apenas marcado presença após a Oliveirense denunciar a situação através de uma chamada telefónica”. Perante a situação, os oliveirenses “não reagiram” e valeram-lhes os elementos da Sanjoanense que “ajudaram a serenar os ânimos e colocaram-se entre os 20 elementos desestabilizadores e a equipa da Oliveirense”. O clube de Oliveira de Azeméis garantiu que vai agir pelas vias legais, criminais e judiciais para identificar e responsabilizar quem criou estes atos de violência.

Oliveirense atira-se aos árbitros
No final do jogo em Turquel (4-4), a Oliveirense teceu duras críticas à equipa de arbitragem composta por Luís Peixoto e Ricardo Leão (AP Lisboa), recordando que a equipa da casa dispôs de cinco bolas paradas, teve a primeira falta assinalada aos 45 minutos entre outras decisões polémicas. “A UD Oliveirense endereça os parabéns aos árbitros Sr. Ricardo Leão e Sr. Luís Peixoto por uma extraordinária exibição esta noite (sábado) em Turquel no jogo onde ditaram o resultado de 4-4. Foi mais uma demonstração das grandes capacidades que estes dois Srs. do apito têm. A nossa equipa, treinadores, direção e staff está radiante com o rumo que a arbitragem conseguiu dar a este jogo. Contem connosco para honrar a modalidade, lutar pela vitória em todos os jogos e não virar a cara à luta. É revoltante a impunidade no sector da arbitragem”, escreveu a secção de hóquei na sua página de facebook.

Ana Catelas