Oliveira de Azeméis homenageou as vítimas da Covid-19

Luta dos profissionais da saúde considerada determinante para evitar números mais graves

0
10

Um minuto de silêncio, a bandeira do município a meia haste, uma largada de balões brancos biodegradáveis, velas acesas e música instrumental marcaram a homenagem da Câmara Municipal às vítimas da Covid-19 e aos profissionais de saúde na passada terça-feira, no Largo da República.
Ana Catelas
No dia em que fez precisamente um ano após o aparecimento do primeiro caso de Covid-19 no nosso país, a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis assinalou essa data com várias iniciativas que tiveram como objetivo homenagear as vítimas deste novo coronavírus e os seus familiares, bem como os profissionais de saúde que lutam todos os dias para combater a doença. “Dirigimo-nos àqueles que são os grandes marcos desta pandemia, que são as vítimas desta doença, e também aos profissionais de saúde que sacrificaram muitas vezes a vida pessoal e familiar para nos proteger, evitando, assim, que hoje apresentássemos números ainda mais trágicos”, explicou, ao Correio de Azeméis/Azeméis FM/TV, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Joaquim Jorge, após ser cumprido um minuto de silêncio e de serem largados alguns balões brancos biodegradáveis ao som de instrumentos musicais tocados pela Academia de Música.
Desde o início da pandemia até aos dias hoje foram confirmados 6.215 casos por Covid-19 no concelho oliveirense. Na passada terça-feira, Oliveira de Azeméis era classificado como concelho de risco elevado devido à evolução negativa de infeções, depois de ter sido considerado como concelho de risco extremamente elevado.
Joaquim Jorge lamentou o sucedido no penúltimo fim de semana em que, com o bom tempo, a população começou a circular. “Isso é errado e o preocupante. É um sinal muito negativo da nossa responsabilidade e não podemos, ao primeiro sinal positivo, desconfinar.

https://www.facebook.com/correiodeazemeis/videos/232296658640563

 

“Oliveirenses tiveram um comportamento responsável”
A grande parte das lojas e do comércio de Oliveira de Azeméis continua encerrada devido às medidas restritivas. Joaquim Jorge reconhece que os comerciantes “têm procurado sobreviver” após verem a sua atividade económica “completamente interrompida”. “Estão a passar por momentos muito difíceis e, em alguns casos, trágicos. Temos muitos comerciantes que não têm possibilidade de pagar as suas contas porque, apesar das lojas estarem fechadas, há despesas que se mantêm”, referiu o presidente da Câmara, frisando que os tempos também são “muito difíceis” para o tecido industrial. “Toda a atividade económica está a passar por muitas dificuldades”, acrescentou o autarca, elogiando o comportamento dos oliveirenses neste tempo de pandemia. “Tiveram um comportamento responsável, as pessoas acataram as orientações impostas, acataram a lei e o sentimento generalizado é que os oliveirenses estiveram à altura das suas responsabilidades”, disse o autarca.

 

> TÊM RESPEITADO O CONFINAMENTO
Oliveirenses são cumpridores
Depois de um mês de confinamento, o comandante de Destacamento Territorial de Oliveira de Azeméis, o capitão Telmo Gomes, confirmou ao Correio de Azeméis que, “de uma forma generalizada, a população oliveirense tem acatado bem e cumprido as medidas” impostas pelo Governo.
“Temos efetuado fiscalização e elaborado autos de contraordenação pontualmente”, confirmou o comandante, salientando que esta é uma situação “normal”, porque “há sempre um ou outro que, efetivamente, prevarica”.
“É lógico que em função do próprio clima há uma tendência, maior ou menor, para as pessoas saírem de casa”, explicou, ao concluir que a força de segurança não tem registado nenhum incumprimento maior por parte da população oliveirense.
Ana Soares

> Já têm nova data
Adiados os espetáculos deste mês
A Câmara Municipal informou que os espetáculos agendados para o mês de março foram adiados, encontrando-se os mesmos já reagendados para novas datas. A autarquia explica ainda que quem tiver já adquirido bilhetes para os espetáculos e mantenha o interesse em assistir os mesmos mantêm-se válidos. Quem pretender pode solicitar a devolução do valor do bilhete junto do Gabinete de Gestão e Animação dos Equipamentos Socioculturais. As novas datas são as seguintes:
– Emmy Curl (22 de maio – Outonalidades);
– Bardino (4 de setembro);
– Eduardo Madeira (05 de junho – Ciclo da Primavera)
– El Diluvi (24 de abril – Outonalidades)
– Babel Bled (data ainda a confirmar – Há domingos Assim).

O ano que passou “vai ter consequências trágicas”
Um ano após o surgimento da Covid-19 em Portugal, Joaquim Jorge fez o balanço destes 365 dias “muito difíceis” e cheios de “desafios constantes” em Oliveira de Azeméis. “O ano não foi muito diferente do que se passou em todo o país, com números que nos preocuparam, com muita pressão no nosso Centro Hospitalar, sobretudo nos Cuidados Intensivos, e com um acompanhamento permanente de um conjunto de situações com que nos confrontámos e tivemos de ultrapassar e reunir um conjunto de respostas que nos permitisse proteger o mais possível a nossa população”, analisou o presidente da Câmara, frisando que a doença ainda não está erradicada e, por isso, “ é necessário manter a guarda” porque a situação pode voltar a ficar “descontrolada”, dando como exemplos o aumento de casos após o regresso às aulas e a época de Natal.
Joaquim Jorge não tem dúvidas de que este ano que passou “vai ter consequências trágicas nas famílias e muito difíceis para a economia”, antevendo, assim, “um período muito difícil para o concelho e para o país”.