“O PSD merece reganhar a confiança dos oliveirenses”

CARLA RODRIGUES apresentou-se em entrevista à Azeméis tv/fm

0
42

A vereadora da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis pelo PSD, Carla Rodrigues, afirmou em entrevista à Azeméis TV/FM, no âmbito da sua candidatura à presidência da Câmara Municipal nas próximas eleições autárquicas pela coligação do PSD/CDS, que o projeto conjunto entre os partidos é “focado única e exclusivamente no melhor para Oliveira de Azeméis”.

Ana Soares

“O PSD merece reganhar a confiança dos oliveirenses, que merecemos durante 40 anos e estamos em condições de a reganhar”, afirmou a candidata. “Oliveira de Azeméis pode e deve estar melhor, merece outro estatuto, merece outro grau de desenvolvimento, outra atenção e cuidado”, declarou. “Claramente perdemos a confiança dos oliveirenses; o PSD perdeu essa confiança”, confirmou Carla Rodrigues, ao acrescentar que o projeto desta coligação passa por criar “um concelho desenvolvido, próspero, moderno e atrativo”.
Ainda que tenha resistido e tentado encontrar outra solução à opção da sua candidatura, proposta pelos seus colegas da Comissão Política Concelhia do partido, onde é vice-presidente, a vereadora aceitou, sentindo-se também na responsabilidade de contribuir para um concelho melhor. “Não é fácil tomar uma decisão destas; é, mais uma vez, deixar a minha carreira profissional e a minha família”, admitiu, ainda que o apelo no sentido de “serviço à comunidade” tenha sido maior. “Se eu acho que Oliveira de Azeméis merece melhor, eu tenho também essa responsabilidade e não a vou deixar para os outros”, adiantou, esclarecendo que, uma vez com “responsabilidades políticas, não tinha como fugir a esta obrigação”, ao entender que foi neste contexto que encarou e aceitou o convite. “Quando o bichinho da política nos entra no sangue, dificilmente – ou nunca – sai. Não consigo dizer ‘não’ quando tenho um apelo que me parece estar ao meu alcance”, concretizou. “Serei totalmente entregue a esta função e também não podia ser de outra forma porque o concelho de Oliveira de Azemeís assim o exige”, afirmou a atual vereadora.
“Estou completamente realizada. Faço aquilo que gosto e de ter a missão de serviço público”, concretizou, ao explicar que pode “melhorar a vida de determinadas pessoas” numa coletividade, mas “é na política que se pode transformar positivamente para melhorar a vida de mais pessoas”, concluiu. Carla Rodrigues mostrou-se confiante para abraçar o desafio, sobretudo depois da experiência que coleciona na vida política, e adiantou estar a construir uma equipa competente e séria que a acompanhe. “O que interessa é que agora se faça melhor e é essa também a nossa responsabilidade, para aquilo que se faça, se faça bem”, notou.
“Toda a minha experiência política que tenho é que me ajudará no desempenho da função de presidente de Câmara”, anunciou. “Ninguém pode dizer que sabe o que é ser presidente de Câmara até o ser”, acrescentou. Com a sua atenção mais direcionada para a vertente pública, a sua carreira profissional como advogada “sai um pouco sacrificada”, como acabou por exemplificar na entrevista.
“Sou uma mulher empenhada nas questões de igualdade de género e sou militante de algumas causas sociais e políticas”, contou a candidata de 48 anos, que é mãe de uma menina de nove anos. É natural e residente na vila de Cucujães, onde também tem o seu escritório enquanto advogada.

Candidata tem vasto currículo associativo e político
Movida pela “missão de serviço público”, aos 48 anos de vida Carla Rodrigues conta com um vasto currículo, tanto associativo como político. Já passou por várias associações regionais e nacionais, tendo iniciado este percurso na Juventude Mariana Vicentina, onde já foi presidente da associação a nível nacional. É atualmente membro do Rotary Club de Oliveira de Azeméis, faz parte da Assembleia Geral da Misericórdia de Cucujães – onde também é irmã -, é amiga da Fundação Manuel Brandão, membro do conselho da Pastoral Paroquial de Cucujães, catequista de pais e membro do Conselho de Disciplina da Federação de Andebol de Portugal. É, ainda, presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida (CPMA).
Na política, deu os primeiros passos como presidente da Assembleia de Freguesia de Cucujães. Há vinte anos, foi deputada na Assembleia da República em duas legislaturas, onde integrou a direção do Grupo Parlamentar e coordenou várias comissões. Atualmente, é vereadora de oposição camarária.

“A causa pública absorve-me”
Dividida entre os vários cargos que desempenha, a atual vereadora percebe que é absorvida pelo serviço à comunidade. “A causa pública absorve-me. Há dias em que tenho reunião de Câmara, trabalho para o partido (PSD), para o CPMA e, para o escritório, que é aquele que me sustenta, trabalhei muito pouco”, contou Carla Rodrigues. Ainda assim, reconheceu que a “experiência de quatro anos” a ajudou “a ter o conhecimento do que é a realidade do dia-a-dia de um executivo camarário”. “Ajuda o conhecimento dos dossiês e também o conhecimento que tenho do concelho e das pessoas”, lembrou, referindo que o que a habilita a ser presidente de Câmara é a confiança e o voto da população.

Irmã Conceição é a “madrinha espiritual”
Carla Rodrigues lembrou que a sua educação sempre foi muito direcionada à causa pública, tendo-se associado desde muito jovem, com 16 anos, a uma coletividade, a Juventude Mariana Vicentina, a convite da Irmã Conceição, que a direcionou no sentido de ‘serviço à comunidade’.
“Desde então que tenho servido a comunidade na juventude. Fiz muito voluntariado: estive em Moçambique numa ação e aqui em Portugal fiz inúmeras durante vários períodos da minha vida”, contou. “A minha madrinha espiritual de serviço à causa pública é a Irmã Conceição”, revelou, ao desvendar que pouco antes de tornar pública a sua decisão, recebeu um telefonema da irmã, preocupada com as declarações de Rui Rio quanto à falta de mulheres para a política, sendo que tinha sugestões de mulheres, além de Carla Rodrigues, para se colocar nas listas. “Foi o empurrão que precisava para aceitar com convicção o desafio que foi lançado”, afirmou.
A Irmã Conceição “está em Lisboa, mas muito atenta ao que se passa por aqui” e já recebeu uma Comenda de Mérito pelos seus serviços de educação à comunidade, atribuída pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, no seu mandato.