Obra da Garagem Justino será lançada a concurso

Concelho

A empreitada de reabilitação do edifício da antiga Garagem Justino para uma Casa das Artes e Ofícios foi aprovada por maioria com abstenção dos vereadores do PSD na última reunião de câmara pública e está em condições de ser lançada a concurso. Apesar da aprovação unânime dos vereadores, a oposição considerou que esta obra não é “prioritária” neste momento. Para os vereadores do PSD, questões referentes à “educação” e à “requalificação das zonas industriais” do concelho são “mais importantes” do que avançar com a Casa das Artes e Ofícios. “Não estamos de acordo com a questão da prioridade. Não achamos prioritária a requalificação deste espaço”, explicou o vereador José Campos. O edil oliveirense reconheceu que partilham visões diferentes, mas que não podem ficar indiferentes enquanto os oliveirenses “disfrutam de cultura nos concelhos vizinhos”. “O Caracas terá uma missão importante enquanto casa de espetáculos e teremos um polo de cultura no concelho que pretendemos que tenha ramificações para as nossas freguesias”, afirmou Joaquim Jorge. “Respeito a questão da prioridade, mas o domínio da cultura é absolutamente estratégico para nós”, reforçou. O vereador José Campos voltou a intervir: “Concordamos e não é isso que está em causa. Só digo que temos que ponderar esta lógica de custos”, considerou. O autarca voltou a sublinhar que cada um define as suas prioridades. “Achamos fundamental a aposta no turismo e na cultura”, enfatizou. A transformação da Garagem Justino em Casa das Artes e Ofícios custará cerca de dois milhões de euros e terá um prazo de execução de 540 dias. Requalificação da Zona Industrial do Nordeste aprovada em reunião de câmara A empreitada de requalificação da Zona Industrial do Nordeste, a rua dos Combatentes (Pindelo) e a Zona Industrial de Nogueira do Cravo e Pindelo, no que diz respeito à proposta de decisão de contratar, de autorização da despesa, de escolha do procedimento, peças do procedimento, projeto de execução e delegação de competências no júri, foi aprovada por unanimidade. Um milhão e 522 mil euros mais IVA é o preço desta obra, que tem um período de execução de 540 dias. “O piso tem péssima qualidade. A intervenção nesta zona será mais profunda e pretende-se a criação de passeios onde for possível, assim como a requalificação do próprio piso”, explicou o presidente da câmara, Joaquim Jorge.

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
PETIÇÃO - LIGAÇÃO FERROVIÁRIA DIRETA AO PORTO
31/01/2023
Trabalhar Para Mudar
31/01/2023
Politicamente (in)correto
31/01/2023
Pensar o Futuro
31/01/2023
Contraditório
31/01/2023
Visão de futuro
31/01/2023
Ainda os 100 anos do Correio de Azeméis
31/01/2023
As Pessoas. Certas.
31/01/2023