Globo de Ouro com toque oliveirense

Destaques Oliveira de Azeméis Concelho

entrevista à Azeméis tv/fm

Rita Rocha Silva foi distinguida na categoria Melhor Atriz de Teatro, graças ao papel desempenhado na peça “Lua Amarela”. Da lista de nomeadas constavam nomes como Dalila Carmo ou Rita Blanco.

O nome da oliveirense, de 28 anos, ecoou no Coliseu dos Recreios (Lisboa) no passado dia 2 de outubro, minutos após uma homenagem póstuma à atriz Eunice Muñoz. No momento de receber o galardão, Rita Rocha Silva estava em êxtase. Na entrevista que concedeu em direto à Azeméis TV/FM, conduzida por Samuel Santos, a atriz disse que “foi inesperado, então com atrizes que cresci a admirá-las, nunca imaginei”. Além disso, Rita Rocha Silva engloba na distinção todos os colegas do teatro independente: “espero que deem mais espaço para pessoas novas, era bom vermos mais artistas emergentes”.
Formada no Conservatório de Música da JOBRA e na Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa), a atriz acumula participações em produções cinematográficas, teatrais e televisivas (como “A Teia” [TVI]; “Frágil” [RTP]; “Glória” [Netflix]). Apesar da migração aos 15 anos, não esquece a “cidade do coração” e analisa o respetivo estado cultural: “poderia haver mais eventos culturais porque é uma cidade com muitos jovens e pessoas talentosas. Algo que adorava era repor um espetáculo na minha cidade”. Da terra natal, Rita Rocha Silva recorda o percurso iniciado no ballet da Escola de Dança Ana Luísa Mendonça, e o primeiro papel enquanto Sininho (Peter Pan): “foi uma personagem teatral e adorei, porque me senti livre”. Por isso, a atriz sublinha a importância de fomentar o teatro no ensino: “é a oportunidade de conheceres o teu universo e dos outros, para criar uma sinergia humana. Cada pessoa é especial por existir”, esclarece.
Por fim Rita Rocha Silva dedicou uma mensagem aos conterrâneos, repleta de saudade: “Quando volto a casa tenho um sentimento de nostalgia, porque as pessoas são genuinamente boas. Vou ao Parque de La Salette, olho para as montanhas e choro. Lembramos o que já vivemos e crescemos. Faz parte de mim e é belo”, concluiu a atriz, na entrevista à Azeméis TV/FM.

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
PETIÇÃO - LIGAÇÃO FERROVIÁRIA DIRETA AO PORTO
31/01/2023
Trabalhar Para Mudar
31/01/2023
Politicamente (in)correto
31/01/2023
Pensar o Futuro
31/01/2023
Contraditório
31/01/2023
Visão de futuro
31/01/2023
Ainda os 100 anos do Correio de Azeméis
31/01/2023
As Pessoas. Certas.
31/01/2023