Em
Correio de Azeméis

13 Jul 2021

É preciso “devolver a cidade às pessoas”

Concelho

“Facilitar” e “construir” uma via para a circulação de ciclistas e peões entre as freguesias do concelho, assim como a criação de incentivos para os trabalhadores que se dirigissem a pé ou de bicicleta para o trabalho, foi uma das táticas discutidas para que haja a possibilidade de “devolver a cidade às pessoas”. Esta é uma das conclusões retiradas do Fórum de Mobilidade e Transportes em Oliveira de Azeméis, promovido pela ADRITEM – Associação de Desenvolvimento Regional Integrado das Terras de Santa Maria. Marta Cabral Outra das conclusões é que existe “pouca flexibilidade” no transporte escolar “quanto ao percurso” e uma possível solução passa pelo “ajustamento” dos horários de transportes públicos com os horários dos alunos, em “articulação do município com as escolas”. Cerca de 80 por cento das linhas do transporte público são ligadas às escolas, dado que o transporte escolar é a “coluna vertebral” da estrutura da rede de transportes. Para o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, os transportes escolares são uma das preocupações dos municípios. “Temos outra realidade que nos condiciona: os municípios da Área Metropolitana do Porto transferiram as competências em termos de transportes metropolitanos. Temos um concurso público internacional em cima da mesa e em fase de adjudicação. Temos um modelo onde, basicamente, pagamos aos operadores ao quilómetro”, contextualizou Joaquim Jorge, acrescentando que é possível “aumentar as redes” de circulação “pagando-as”. “Os transportes escolares vão sempre merecer a atenção dos municípios, sendo que tivemos a oportunidade de apresentar, para este concurso público internacional, as redes que supostamente serviriam o interesse dos nossos concelhos e da nossa região”, adiantou. O Correio de Azeméis tentou perceber, junto do edil oliveirense, o que se prevê fazer na gestão das vias da cidade para afastar o trânsito das vias centrais e praças, o que se prevê fazer ou pode ser previsto para retirar o trânsito de pesados destas vias e quais foram as melhorias propostas pela autarquia oliveirense para o concurso internacional. Até ao fecho desta edição, não obtivemos resposta a estas questões. Novo mercado vai levar pesados para o centro da cidade A Estação Multimodal de Transportes, vulgo centro coordenador de transportes, vai situar-se no rés do chão da nova estrutura, com entrada desde o emblemático jardim público. Esta opção do executivo é contrária a uma das conclusões do seminário da ADRITEM, que focou na necessidade de “devolver as praças e ruas do centro da cidade às pessoas e às bicicletas”. Trata-se de um projeto [a Estação Multimodal de Transportes no edifício do novo Mercado Municipal] para uma geração, pelo menos, com um investimento público dos mais elevados das últimas décadas, e vê-se, assim, definitivamente, comprometida a tendência geral de afastar o trânsito do centro da cidade, com “a agravante de se tratar de pesados”, lembrou um dos intervenientes na citada conferência. O Correio de Azeméis questionou o executivo municipal sobre a circulação de pesados de transportes de passageiros e se este projeto não vai comprometer, em definitivo, qualquer solução de pedonização e de ciclovias do centro da cidade. Até ao fecho da edição, não recebemos esclarecimento a estas questões. Parque da Transdev (ex-Caima) pode sair do centro A concessão dos transportes coletivos, cuja gestão a Câmara entregou em 2016 à Autoridade Metropolitana de Transportes, está em concurso público, podendo assim ser entregue a outro operador de transportes públicos em substituição da Transdev. Se isso acontecer, o vereador com este pelouro, Hélder Simões, lembrou ao Correio de Azeméis que o atual local onde se encontra o centro de transportes de passageiros, na rua Manuel Alves Soares, por detrás da Caixa Geral de Depósitos, pode ser mudado para outro local. O vereador esclareceu, ainda, que é a Transdev que escolhe as ruas da cidade por onde circulam os autocarros, desde que seja permitido o trânsito a pesados nessas ruas. Retirar o parque da Transdev daquele local, que muitos consideram um autêntico “cancro” no centro da cidade, tem sido um objetivo de há muitos anos. Problema da mobilidade no concelho já tinha sido discutido no ‘Politicamente Correto’ Em 2019, no mês de janeiro, o programa ‘Politicamente Correto’ da Azeméis TV/FM discutiu o tema da mobilidade com o CDS-PP, o PS e o PSD. À data, António Pinto Moreira (CDS-PP) comentou que o facto de o município possuir uma rede viária com mais de 700 quilómetros é “um ponto forte”, mas lamentou que nos três anos anteriores tenha havido um “desinvestimento” na manutenção das estradas. Bruno Rodrigues (JSD) afirmou também que era necessário concluir vias estruturantes “que estão por acabar”, uma vez que seria uma forma de “tentar puxar as pessoas das freguesias limítrofes para o centro”. Já Ricardo Bastos (PS) acrescentou que a questão da mobilidade é um “problema sério que nunca foi pensado de forma estruturada” e que as complicações de trânsito que ocorrem, muitas vezes, no centro da cidade, poderiam ser resolvidas “se se tivesse terminado a construção da A32 com as ligações previstas”.

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
Mercado à Moda Antiga “com mais de 100 inscrições”
2/02/2023
Ainda sem garantias Polícia Municipal pode chegar em 2024
2/02/2023
Colisão entre carro e bicicleta deixou uma mulher ferida
2/02/2023
É oficial. Oliveirense apresentou Kazu Miura
1/02/2023
PETIÇÃO - LIGAÇÃO FERROVIÁRIA DIRETA AO PORTO
31/01/2023
Trabalhar Para Mudar
31/01/2023
Politicamente (in)correto
31/01/2023
Pensar o Futuro
31/01/2023