Contraditório

PSD

José Campos *

Plano de recuperação e resiliência – os desafios para a indústria. Foi este o tema de mais uma conferência organizada pelo PSD de Oliveira de Azeméis, que teve lugar no passado dia 15 de junho no Auditório da Escola Superior Aveiro Norte.

Tema naturalmente fundamental tendo sobretudo em conta a dinâmica industrial que o nosso concelho apresenta. Os oradores eram de excelência e verdadeiramente conhecedores da matéria. As oportunidades no âmbito do PRR para as empresas estão restringidas à transição energética e à inovação tecnológica. Está verdadeiramente assimilado para todos que, infelizmente, o PRR em vez de ser uma verdadeira oportunidade para as empresas, está mais vocacionado para o estado, para o poder público. Fica a certeza de que os nossos empresários, em matéria de investimento para as suas empresas, deverão olhar de forma mais cuidada e procurar oportunidades nos fundos estruturais nomeadamente no Portugal 20-30.
Mas sobre o PRR o sentimento que fica em termos locais e nacionais é que a falta de estratégia que o município e o país apresentam estão a condicionar de forma preocupante a execução do mesmo. Os projetos escolhidos são os melhores? Os que apresentarão melhores resultados para o futuro? Não. Infelizmente não. Muitos dos investimentos suportados pelo PRR estão a ser aproveitados para financiar despesa corrente do estado. E que dizer da baixíssima execução até ao momento do PRR? Somos dos países mais atrasados…Fica a sensação de que estamos a passar ao lado de uma boa oportunidade.  Em Oliveira de Azeméis no que diz respeito a aproveitar os fundos comunitários temos um discurso, implementado pelo atual executivo, de que o importante é apresentar grandes números, investimentos de milhões, que tardam a passar do campo dos anúncios à prática.
Se os resultados que esses investimentos vão alcançar e se o seu impacto é decisivo para o desenvolvimento do concelho parece não importar. E esse é o problema.
Em matéria de bom aproveitamento das oportunidades que os fundos comunitários apresentam, há três palavras-chave: Estratégia, Responsabilidade e Resultados.
Em Oliveira de Azeméis não se percebe qual a estratégia para o desenvolvimento do concelho que este executivo tem. Os fundos comunitários têm, no nosso município, sido encarados como substitutos de investimentos que devem partir do orçamento camarário, e não como complementos a esses investimentos. E a irresponsabilidade vê-se aí. Com tantos milhões de saldo de gerência não é responsável adiar-se investimentos urgentes à espera que apareçam fundos comunitários que resolvam o problema. E assim temo que o PRR no nosso município não venha a ser verdadeiramente aproveitado.
 * Vereador da Câmara Municipal pelo PSD

Partilhar nas redes sociais

Comente Aqui!









Últimas Notícias
Sub-17 da Oliveirense erguem o troféu de campeões
26/02/2024
“As sondagens têm um papel de condicionar o voto”
26/02/2024
CDU quer distribuição de riqueza
26/02/2024
Carlos Fonseca, o ‘pai’ do teatro oliveirense
26/02/2024
Biografia de Ferreira de Castro apresentada
26/02/2024
UNIR continua em falha
26/02/2024
Lulucabit, um talento oliveirense
26/02/2024
GM Macinhatense irá celebrar 89 anos
26/02/2024
PUB