Contraditório

PSD

José Campos *

Em 2018, a Câmara Municipal adquiriu um terreno para a construção de um parque urbano na cidade. Um investimento de mais de um milhão e duzentos mil euros só para a compra do espaço.
Já na altura, e já lá vão mais de 4 anos, os vereadores do PSD manifestaram a sua discordância.

Porque considerávamos que Oliveira de Azeméis tinha outras prioridades, outras necessidades mais urgentes e que não era oportuno investir tanto dinheiro, do orçamento camarário, em anos de crise. 
Um investimento financeiro desta envergadura justificava outro tipo de cuidado, inclusive na escolha do espaço, cuja topografia não se afigura a mais indicada para um parque urbano de grandes dimensões. 
Não era oportuno e continua a não ser oportuno! Continuamos em crise. Prioritário deve ser resolver os problemas das nossas zonas industriais e investir seriamente nas mesmas. Prioritário deve ser o apoio social aos oliveirenses, o apoio ao nosso comércio e à nossa cultura. Prioritário deve ser a manutenção e melhoria de todos os serviços de saúde, educação e justiça no nosso concelho. Prioritário deve ser a homogeneidade nas condições de vida entre todas as nossas 19 freguesias.
Do ponto de vista do rigor, ou melhor, da falta de rigor, a gestão deste dossier também tem sido um desastre. Em 2018, o Sr. Presidente previa que o projeto começasse a ser executado em meados de 2019. Ora bem, já estamos em outubro de 2022 e até agora nada. Em 2018 para além de mais de um milhão e duzentos mil euros para a aquisição do terreno, o Sr. Presidente da Câmara previa mais cerca de 2 milhões de euros de investimento para a sua construção. Agora, em 2022, o que efetivamente foi aprovado para a obra (com os votos contra do PSD), foram 4 milhões e 683 mil euros + iva. Ou seja, um investimento global para este parque urbano de mais de 6 milhões 683 mil euros. A conclusão é obvia, nem rigor nos prazos nem rigor no investimento financeiro. A obra vai custar mais do dobro do que o inicialmente previsto. E por isso a pergunta que se impõe: este investimento é prioritário para Oliveira de Azeméis? Não, não é. 
E uma segunda pergunta que temos que colocar: quando pararão os anúncios do parque urbano, da futura oficina de artes, do fórum municipal, da praça maior? É que os anúncios já foram feitos várias vezes, já as obras e a sua disponibilização aos oliveirenses continuam, em outubro de 2022, a ser uma miragem, e os muitos milhões que se vão gastando nas mesmas dão que pensar.  Esperemos que ao menos, após muitos meses de atraso, em 2023 tenhamos o cineteatro Caracas de novo ao serviço dos Oliveirenses. 
* Vereador do PSD de Oliveira de Azeméis

Partilhar nas redes sociais

Comente Aqui!









Últimas Notícias
Sub-17 da Oliveirense erguem o troféu de campeões
26/02/2024
“As sondagens têm um papel de condicionar o voto”
26/02/2024
CDU quer distribuição de riqueza
26/02/2024
Carlos Fonseca, o ‘pai’ do teatro oliveirense
26/02/2024
Biografia de Ferreira de Castro apresentada
26/02/2024
UNIR continua em falha
26/02/2024
Lulucabit, um talento oliveirense
26/02/2024
GM Macinhatense irá celebrar 89 anos
26/02/2024
PUB