“Não me lembro de não cantar”

0
72

A oliveirense Mariana Parreira é uma das candidatas da iniciativa EDP Tanto Fado, cujo vencedor irá editar um álbum com a Sony Music e atuar na próxima edição do festival NOS Alive. Para passar à semi-final, a jovem precisa de estar entre os seis concorrentes mais votados.

Tem 19 anos, estuda Línguas Aplicadas às Relações Empresariais na Faculdade de Letras da Universidade do Porto e concorre com o fado da fadista Mariza intitulado ‘Gente da Minha Terra’. “Não me lembro de não cantar. A música apareceu cedo na minha vida, com o coro e a escola de música paroquiais… Já o fado, apanhou-me de surpresa aos 10 anos, quando me enamorei a ouvi-lo e me apaixonei de verdade a cantá-lo, fazendo-o em público pela primeira vez no encerramento de uma colónia de férias”, escreveu Mariana Parreira na descrição da sua candidatura na página da EDP. “Desde então, crescemos juntos e sonho que tenha um destaque cada vez maior na minha vida”, concluiu.
Mariana Parreira nunca tinha publicado um áudio gravado a cantar, pelo que este concurso deu um impulso à jovem para o fazer. Um “bocadinho a medo”, uma vez que nunca tinha feito algo do género, a oliveirense decidiu ser uma das candidatas do EDP Tanto Fado. “Há alguns anos, candidatei-me ao ‘Portugal Tem Talento’ e foi uma experiência interessante. Agora que tenho muito mais experiência, quem sabe se um dia poderei voltar a concorrer”, comentou Mariana Parreira.
Enquanto fadista, a oliveirense gostaria de crescer a nível musical, até porque canta “com imenso gosto”. “Quem corre por gosto não cansa e se conseguir, algum dia, cantar de forma profissional, agarraria essa oportunidade sem pensar duas vezes”, contou, acrescentando que, se fosse possível aliar a vida profissional com a área da música, seria “perfeito”. “Se surgisse a hipótese de ser fadista a tempo inteiro, também o faria”, idealizou, com um sorriso.