Merecedor de privilégios

0
18

Eduardo Costa *

Cristiano Ronaldo escolheu Lisboa para o seu porto de abrigo após a gloriosa carreira. Podia ter escolhido uma grande capital, de um dos vários países onde viveu enquanto profissional. Mas, decidiu-se pelo país natal.
Havemos de ficar satisfeitos com a sua escolha. O capitão da nossa seleção andou sempre connosco no coração. Se dúvidas houvesse, esta decisão confirma-o.
Portugal tem esta capacidade. Dar ao mundo bons profissionais, que se formaram cá e que lá fora venceram. Resultado do que aprenderam, mas, sobretudo, das habilidades próprias.
Dizem que somos um povo que se acomoda. Mas que se distingue pelas capacidades de trabalho e ciência. Sobretudo, quando decide ir mundo fora para vencer desafios ou conquistar melhor qualidade de vida e aproveitar oportunidades.
Muitos exemplos há na nossa história. Na passada, imensos. Na história mais recente também. Portugueses que se tornam dos melhores do mundo. Ou o melhor do mundo, como Cristiano.
A nossa autoestima cresce. O benefício de sermos reconhecidos internacionalmente é assinalável. Seja em viagens de férias, seja em negócios, notamos o prestígio que foi acrescentado por conterrâneos que se distinguiram.
Bom regresso a casa, Cristiano Ronaldo. É reconfortante saber que nos escolheste para viver na era após a notável carreira. Os nossos braços estão abertos para te receber de volta. Escreveste uma página inesquecível da nossa história. Enriqueceste-nos. Mereces ser distinguido com privilégios que sejam possíveis. E se alguém houver que se incomode com isso, acredita que não representa o sentimento dos teus patrícios.
* jornalista, presidente da Associação Nacional da Imprensa Regional