Mais de 200 anos de história criada por “gente dinâmica”

> OLIVEIRA DE AZEMÉIS CELEBROU O 222.º ANIVERSÁRIO DE ELEVAÇÃO A CONCELHO

0
6

Na sequência das celebrações do 222.º aniversário de Oliveira de Azeméis de elevação a concelho, na passada terça-feira, o presidente da Câmara, Joaquim Jorge, homenageou os antepassados oliveirenses pelo passado que definiu “o ADN do concelho”, que é hoje “uma terra de oportunidades”.

O edil explicou que, “apesar do momento de crise pandémica” em que o mundo se encontra, é necessário “continuar a honrar” o legado deixado e que a “melhor forma” de o fazer “é continuar a trabalhar” para se melhorar “a qualidade de vida” da população. Aproveitou ainda para convocar a população para se definir um plano de ação, com uma visão estratégica a ser implementada nos próximos dez anos. “O futuro do nosso concelho começa a preparar-se hoje”, disse.
A autarquia desenvolveu algumas atividades ao longo do dia de terça-feira, como forma de comemorar a data, sobretudo online e através das suas redes sociais dada a atual situação pandémica. As bandeiras foram hasteadas na parte da manhã, no Largo da República, em frente à Câmara Municipal, seguiu-se a exibição de um videofilme intitulado ‘Memórias de OAZ’, publicado online, de forma a recordar a história da criação do concelho. Alguns membros da Câmara, incluindo o presidente, visitaram também locais com projetos e de obras em curso e ainda foram partilhadas fotografias e bilhetes postais do Arquivo Municipal de locais e momentos de antigamente das freguesias.
O decreto que estabeleceu a elevação de Oliveira de Azeméis data de 1799, promulgado por D. Maria Pia. Joaquim Jorge afirmou que foram mais 200 anos de uma história contruída por gente dinâmica, trabalhadora e empreendedora.

Câmara Municipal reabilita edifício histórico ligado ao ensino

No âmbito da reabilitação do edificado público e da regeneração urbana, a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis vai recuperar um importante edifício, historicamente ligado ao ensino.
Trata-se da antiga Escola de Artes e Ofícios de ‘O Comércio do Porto’, onde funcionou o antigo ‘ciclo preparatório’ e, mais tarde, durante vários anos, a Escola Superior de Enfermagem, antes de ficar devoluto.
A autarquia vai investir cerca de 300 mil euros para reabilitar o interior e o exterior do imóvel que esteve na origem daquela que é hoje a Escola Soares Basto, sede do Agrupamento de Escolas Soares Basto.
Construído em 1927, a pedido de Bento Carqueja e patrocinado por Francisco Alves Soares Basto, este edifício teve, quase ao longo de um século, uma ligação estreita com o ensino, sendo, por isso, uma referência na formação de crianças e jovens.