“Loureiro é uma terra rica no associativismo”

Banda de Música vai regressar aos concertos

0
48

As festas de Loureiro começaram no dia 18 de maio e irão terminar na próxima segunda-feira. A Azeméis TV esteve, na passada quinta-feira, na Praça Nossa Senhora da Alumieira, onde se realizou um evento dedicado à atividade física, com aulas de zumba, treino funcional e pilates. O objetivo foi “trazer festa à nossa terra”, envolvendo “as pessoas, apelando ao exercício físico e ao convívio de uma forma segura”, disse o presidente da Junta de Freguesia de Loureiro, José Queirós.
Em relação às festividades de Loureiro deste ano, o autarca explicou que “não é como o habitual; estamos, aos poucos, a tentar voltar à normalidade. No passado dia 05 de junho, tivemos momentos da juventude, com o torneio FIFA 2021. No dia seguinte realizou-se uma caminhada solidária a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro, com o objetivo de manter a atitude de preocupação com o outro e com aqueles que mais precisam”.
No passado domingo, realizou-se o XI Encontro de Duas Rodas Antigas e um ‘showcooking’. Mais de 150 pessoas juntaram-se para o encontro de Duas Rodas Antigas e, neste lote de participantes, estiveram pessoas dos mais vários quadrantes da sociedade da freguesia de Loureiro e arredores.
O próximo sábado será dedicado às crianças, com a iniciativa ‘Loureiro a brincar’.
A Banda de Música de Loureiro vai dar o seu primeiro concerto, depois de um ano parada, no dia 20 de junho. “Não organizámos passeios seniores. Não queríamos correr riscos; vamos ver se fazemos algo com eles depois, pois foram dos mais crucificados nesta pandemia”, lamentou José Queirós.
O presidente da Junta deixou, ainda, uma mensagem para todos os loureirenses: “Participem nas atividades programadas pela Junta, que são, essencialmente, das associações ou das pessoas. Loureiro é uma terra muito rica no associativismo, onde as pessoas se envolvem para dar alegria à nossa terra”.

António Evangelista de Pinho
Dever de correção de apontamento da última edição do Correio de Azeméis.
No apontamento que elaborei para este jornal relativo ao falecimento do Sr. António Evangelista de Pinho, referi que o Sr. Pinho não era natural de Loureiro, o que não corresponde à verdade. Foi feita confusão com outra pessoa; o Sr. Pinho é, efetivamente, natural da freguesia de Loureiro, nascido no lugar da Rua Nova. Por este lamentável lapso peço as mais sinceras desculpas à sua família, bem como aos leitores do Correio de Azeméis.

Manuel Terra