Leos ambicionam crescer

COLETIVIDADE LEOS CLUBE AGUARDA OPORTUNIDADES PARA DINAMIZAR INICIATIVAS

0
13

https://www.facebook.com/382888145113823/videos/169512664764796

Azeméis, o serviço juvenil dos Lions Club do concelho, foi fundado no segundo trimestre de 2019, como informou o fundador e presidente, André Carvalho, em entrevista ao programa ‘As Nossas Coletividades’. Iniciou a sua atividade em dezembro desse ano, tendo ficado com a atividade limitada devido à pandemia.
“Passámos por um processo de organização antes de entrarmos em concreto a trabalhar”, informou o presidente. “Em dezembro começámos a fazer uma recolha de alimentos, depois da pandemia já foi mais difícil”, explicou André Carvalho, ao adiantar que ainda conseguiram ajudar a ‘Associação Resgate’ e a ‘Patinhas e Patudos’, na entrega de rações.
Para além disso, participam em recolhas de bens alimentares em supermercados sempre que lhes é possível, estão envolvidos na ação de recolha de sangue dinamizada pelos Lions Club, já organizaram uma doação de medula óssea e sangue para “um menino que estava a precisar” e estão, atualmente, a garantir a entrega de comida da cantina da escola a duas crianças carenciadas que dependiam dessa refeição.
A terminar o mestrado em Engenharia Química, André Carvalho referiu que o interesse em fundar este grupo surgiu da convivência em casa, dos problemas que ouvia comentar a sua mãe, Mónica Carvalho, a presidente dos Lions Club, acerca das carências da comunidade. “Envolvi-me e decidi criar uma ‘camada jovem’ dos Lions”, referiu. Atualmente, são cerca de 20 elementos, na faixa etária entre os 12 e 30 anos. “Somos um grupo de amigos que nos organizamos num chat e tentamos resolver essas situações”, explicou o representante, declarando que não esperavam tanta adesão. “O tempo que perdemos é tempo que aproveitamos, ao dar também recebemos”, acrescentou.
Apesar de estarem limitados, o líder afirmou que estão “expectantes” e que “o intuito é crescer”, avançando que já pensaram, inclusive, numa atividade de limpeza de ruas e matos. “Ainda não conseguimos fazer uma atividade dessas porque não podemos andar tanto na rua”. Mas deixou a promessa de que, mal possam, tentarão dinamizar iniciativas para suprir lacunas.

Ana Soares