Jornada dupla amarga para a Oliveirense

0
0

A Oliveirense procurava regressar às vitórias para o campeonato na manhã deste domingo, após a derrota na passada sexta-feira em casa do FC Porto (97-72), mas o Lusitânia, tal como se antevia, dificultou ao máximo a tarefa dos bicampeões nacionais e levou mesmo o triunfo para os Açores. O equilíbrio foi a nota dominante deste encontro e isso pode atestar-se pelo marcador na primeira parte: as duas equipas marcaram 21 pontos em cada período, o que revela também a intensidade que os jogadores meteram nesta partida. A Oliveirense acabou o primeiro período com uma grande recuperação no marcador e continuou assim no segundo quarto. Comandada por Francisco Albergaria, que entrou muito bem no jogo, a Oliveirense ganhou uma vantagem de 11 pontos (34-23) no espaço de pouco mais de três minutos. O Lusitânia esboçou uma reação e foi através da linha de três pontos que conseguiu ir recuperando no marcador com quatro triplos convertidos e nos instantes finais do segundo período repetiu-se o filme do quarto anterior, mas desta vez os papéis inverteram-se e foram os visitantes a chegarem ao empate depois de estarem a perder por mais de dois dígitos.
Com Norberto Alves privado, logo no início do 3º período, de Thomas De Thaey, lesionado, e com Alston e Guerreiro já com quatro faltas, a gestão do banco começou a ser uma tarefa difícil. A Oliveirense acabou o terceiro quarto com cinco pontos de vantagem sobre o Lusitânia (65-60), mas no derradeiro período os visitantes foram mais eficazes e souberam tirar partido dos muitos turnovers da formação da casa nesta fase do jogo (8 contra apenas 1 do Lusitânia) para chegar à vitória.