Intermarché: próximo das coletividades

0
16

Com vista a assinalar o novo período pós-pandemia e, sobretudo, reforçar a assumida proximidade com instituições e coletividades locais, o Intermarché de Oliveira de Azeméis promoveu, na passada tarde de quinta-feira, uma atuação do Rancho Folclórico do Grupo Musical Macinhatense em plenas instalações do hipermercado. O líder da associação, Joaquim Ferreira, mostrou-se orgulhoso por fazer parte das “festividades da nova imagem do Intermarché”, que remodelou as suas instalações recentemente. O músico reforçou a ligação “estreita” que o grupo musical mantém com o hipermercado: “O Intermarché é nosso patrocinador”, reforçou Joaquim Ferreira.

O rancho folclórico protagonizou “a primeira atuação depois de uma paragem absoluta devido à pandemia” e trouxe história: “Estamos na altura das colheitas e viemos fazer aquilo que o povo, no início do século passado, fazia na nossa pequena aldeia de Macinhata da Seixa: a desfolhada. Vamos criar a noite da desfolhada e cantar as cantigas daquela época”, explicou Joaquim Ferreira. Os membros do Grupo Musical Macinhatense estavam “saudosos” e “eufóricos”, pelo que atuaram durante largos minutos, atraindo a atenção de muitos clientes curiosos.

Gerentes Nuno e Helena Sousa enfatizaram ligações locais
Em entrevista ao jornal Correio de Azeméis, os gerentes do Intermarché de Oliveira de Azeméis, Nuno Sousa e Helena Sousa, deixaram uma mensagem que têm seguido à risca desde que se tornaram responsáveis pela loja oliveirense.
“Somos de tradições! O Intermarché, como insígnia, tem no seu ADN uma ligação local muito próxima com as localidades. No nosso caso, em Oliveira de Azeméis, estamos muito ligados com as instituições culturais, sociais e desportivas, não só como patrocinadores, mas participativos na vida ativa das mesmas. É assim que acreditamos que a nossa colaboração na comunidade se torna realmente efetiva”, afirmaram os gerentes.