HELENA TERRA ANALISOU E COMENTOU ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS

“É a primeira vez que temos uma assembleia com tanto colorido”

0
45

Helena Terra, advogada e colunista no Correio de Azeméis, comentou na Azeméis TV/FM o rescaldo da noite eleitoral. A abstenção, a afirmação do PS no executivo, a “descida vertiginosa da coligação PSD/CDS-PP” e a ascensão do CHEGA e do Bloco de Esquerda ao poder foram os principais temas de discussão.

Oposição só elege três vereadores pela primeira vez
“O PS reforçou a votação que teve há quatro anos atrás, onde pela primeira vez conquistou o poder executivo em Oliveira de Azeméis. Não obstante, temos o facto curioso de o PS ter um menor número de votos e conseguir, ao mesmo tempo, eleger seis dos nove vereadores. Desta feita, a coligação ‘Pelas Pessoas’ elege os restantes; apenas três. Ambas estas forças políticas diminuem o número de votos na urna”

A abstenção no concelho
“Este ano, a nível de abstenção, ficamos quatro pontos percentuais acima da média nacional, o que não é normal em Oliveira de Azeméis. Acho que isto se deve ao facto do descrédito geral das pessoas na política e nos partidos políticos. Há quatro anos a abstenção foi mais baixa porque os eleitores quiseram participar e quiseram mudar face ao que aconteceu no PSD; isso motivou a uma participação em massa”

CHEGA e Bloco de
Esquerda ascendem
ao poder
“É a primeira vez que temos uma assembleia municipal com tanto colorido. O CHEGA ascendeu ao eleger um deputado municipal, assim como o Bloco de Esquerda. O PS é o partido maioritário com 15 deputados eleitos, enquanto que toda a oposição junta tem apenas 12. Assim, apesar da maioria socialista, sendo a assembleia um órgão de fiscalização da atividade do executivo, quanto maior for o seu escrutínio, melhor será a qualidade do exercício democrático do poder autárquico”

A surpresa em São Roque
“O Nuno Pires tinha grandes expectativas para vencer; era uma ambição que nunca escondeu (…) A coligação fez uma grande aposta neste sentido. Por outro lado, o PS podia acusar algum desgaste com a saída do seu líder de sempre, em substituição pelo Vítor Andrade, que apesar do trabalho na junta de freguesia, não tem nenhum tipo de experiência de liderança (…) Existe uma curiosidade: apesar de o PS ser ganhador para os três órgãos autárquicos, é na assembleia municipal que tem o seu resultado menos expressivo. Isto pode dever-se ao facto de o presidente da assembleia municipal, o órgão escrutinador e fiscalizador da atividade do executivo, que por sua vez, na sua composição, tem um filho do presidente do órgão fiscalizador”

Partido Socialista
conquista Carregosa
“É absolutamente inédito o PS ter ganho a Junta de Freguesia de Carregosa. (…) Há um conjunto de membros que fizeram parte do executivo anterior liderado pelo CDS-PP, que integravam a atual lista do PS. Portanto, imagino que os carregosenses queiram demonstrar alguma continuidade com o trabalho do mandato anterior”