Grupo Musical Macinhatense com tradições há 86 anos

“A história desta casa é muito forte”

0
10

O cenário de pandemia impediu a realização da festa dos 86 anos do Grupo Musical Macinhatense, o que trouxe “muita tristeza” à coletividade. “Apesar disso, estamos felizes por o Grupo Musical Macinhatense ainda existir e chegar a esta jovem idade de 86 anos de uma vida recheada”, afirmou o presidente da Comissão Administrativa, Rui Libras, em declarações ao Correio de Azeméis.
Apesar de a sede — assim como a respetiva atividade — do Grupo Musical Macinhatense estar de portas fechadas devido às circunstâncias pandémicas, para a coletividade é “um enorme orgulho” ter no concelho de Oliveira de Azeméis uma instituição com esta idade, “cheia de reconhecimento e muita história”. Como seria de esperar, as despesas fixas da associação continuam a existir e tem sido “difícil” geri-las para manter as contas em dia. “Temos de agradecer a todos os sócios, amigos e empresários que se sensibilizaram e disponibilizaram para, no dia 06 de dezembro de 2020, se dirigirem ou fazerem chegar o seu pagamento de quotas ou o seu donativo, alguns dizendo ‘que era para a ajuda da luz’”, agradeceu o presidente da Comissão Administrativa, Rui Libras. “Além das despesas fixas, temos olhado para a degradação de todo o edifício, que precisa urgentemente de obras”, apontou, realçando que essa é a maior preocupação a nível financeiro. “Também esperamos poder continuar a contar com a ajuda da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia”, acrescentou o responsável.
Em 86 anos, todos os que passaram pelo Grupo Musical Macinhatense mostraram-se gratos pela disponibilidade desta casa. “Sempre nos acolheu e fez — e faz — parte da história pessoal e familiar de várias pessoas”, contou Rui Libras. “A história desta casa é muito forte e estou confiante que esta pandemia trará mais força e união aos sócios e amigos do Grupo Musical Macinhatense para conseguirmos fazer mais e melhor”, considerou, descrevendo-os como “peças fundamentais do puzzle”. “Mesmo quando não podem, os sócios e amigos fazem de tudo para manterem esta casa de pé”, enfatizou Rui Libras, com a consciência que a instituição pode contar com a comunidade para ajudar a ultrapassar os “momentos menos fáceis” que a casa macinhatense terá de enfrentar.

Marta Cabral