“Foi um momento especial”

0
9

A Associação de Treinadores de Atletismo de Portugal homenageou, a título póstumo, António Pinho, treinador, atleta, fundador e dirigente do Núcleo de Atletismo de Cucujães. No Seminário de Treino, que se realizou recentemente em Lisboa, esteve presente a sua filha, Ângela Pinho, que recebeu a devida homenagem feita ao seu pai, que faleceu no passado dia 15 de agosto. Num momento emocionante e também saudoso foi exibido um vídeo com um breve resumo do currículo de António Pinho ao serviço do NAC. “Fiquei muito emocionada e não consegui falar”, recordou, ao Correio de Azeméis, Ângela Pinho, deixando agora as palavras que gostava de ter proferido naquele momento: “O meu pai vai estar sempre junto de quem tenta guiar os jovens no desporto e, em particular, no atletismo”. Para a filha, esta distinção foi “um momento especial”. “A homenagem foi muito bonita e muito emotiva”, confirmou Ângela Pinho.

Os sonhos de António Pinho
Ângela Pinho confidenciou ainda alguns dos sonhos que o seu pai sempre alimentou e que gostaria de ver, um dia, concretizados. “O meu pai queria ver concluídas as obras da sede. Era um sonho de há muitos anos. E gostava também de levar um atleta aos Jogos Olímpicos. A Eva Gonçalves (a atleta que António Pinho treinava) disse-me que ia tentar realizar este sonho do meu pai”, contou a filha de António Pinho.
O ‘Senhor Atletismo’, como era conhecido António Pinho, foi um dos fundadores do Núcleo de Atletismo de Cucujães em maio de 1976. Sócio fundador nº 1, António Pinho comandou os destinos do clube como presidente ao longo de 25 anos, passando depois o testemunho a outros jovens, mas nunca deixando o clube onde treinava vários atletas. Era considerado o grande timoneiro desta nau. Em 1982 iniciou a organização do que é hoje o Torneio de Xadrez da Vila de Cucujães, o mais antigo de partidas lentas, que este ano vai para a sua 38ª edição. Em 1988, António Pinho criou as Noites Quentes de Inverno com atividades culturais entre os meses de janeiro e março.
Como atleta foi várias vezes Campeão Distrital Absolutos nas provas de lançamento de martelo e disco. Em termos coletivos marcou presença na final da 1ª Divisão (1998 a 2001), sagrou-se campeão da 2ª Divisão (2018) e campeão da 3ª Divisão (2005 e 2011). Como treinador levou a equipa feminina ao 3º lugar na 3ª Divisão (2018) e ao título de vice-campeã (2019). Também em veteranos conquistou seis títulos de campeão nacional.
Foi treinador de inúmeros atletas que se destacaram, tais como José Pinho, que conquistou 19 títulos nacionais nos escalões de juvenis a sub-23 e foi internacional, e também Eva Gonçalves, atleta júnior Esperança Olímpica Paris 2024, com sete títulos nacionais, vice-campeã Ibérica (2019), presença nos Europeu de Juniores e 8º lugar no Festival Olímpico Juventude Europeia.