Faleceu o Padre Elias

lecionou EDUCAÇÃO MORAL E religiosa católica

0
79

O Padre Elias da Silva Rocha faleceu, na passada quarta-feira, aos 86 anos. Foi sepultado na sua terra natal, São Vicente de Pereira (Ovar), na quinta–feira, numa celebração fúnebre com a presença exclusiva de familiares. Foi pároco na freguesia de Pindelo de 1959 a 2013, onde desempenhou maioritariamente a sua missão, tendo-se tornado o padre com mais anos consecutivos na mesma freguesia do concelho de Oliveira de Azeméis.
Lembrado com muito carinho nos locais por onde passou e fez o seu percurso, o padre Elias deixou também uma obra significativa à comunidade pindelense, nomeadamente a Igreja Matriz de Pindelo, o edifício das salas de catequese, o Centro Social, o restauro da Capela de Pinhão e a remodelação da residência paroquial.
Além de pároco, foi também docente de Educação Moral e Religiosa Católica, na Escola Serafim Leite, em S. João da Madeira, entre 1963 e 2002. “É com um sorriso no rosto que lembramos o docente Elias Rocha, que marcou os seus alunos e colegas pela afabilidade e amizade que manifestava para com todos e pelo interesse e participação nos assuntos próprios de uma comunidade educativa”, pode ler-se no site da escola. “Nunca deixou de se interessar pela vida que fervilhava na Serafim Leite, procurando saber de tudo e de todos, revelando saudade do tempo” que lá passou, refere ainda.
A par deste memorando, algumas instituições oliveirenses prestaram, igualmente, uma singela homenagem ao benfeitor da freguesia de Pindelo.

 

Ana Soares

 

“O padre Elias foi um exemplo de pastor. Com a morte do padre Elias Rocha, que me concedeu, longos anos, o privilégio da sua amizade, deixa-nos aquele que foi, certamente, o pároco com maior permanência na paróquia de Pindelo, longos e nunca esquecidos 54 anos (1959 a 2013). Um dos quase findos casos em que o senhor abade batizou avós, filhos, netos, integrando-se na comunidade como mais um dos seus. A história registará ainda que, no seu consulado, foi construída a nova e moderna igreja, substituta do já cansado templo do século XVII, inaugurada no ano de 1984, com a particularidade de ter sido projetada por um filho da terra, o arquiteto José Gomes Fernandes, em vasto terreno doado pelo padre Manuel Oliveira, também este um pindelense. Cinquenta anos marcados por uma corajosa ação pastoral, com notável vertente nos jovens – onde, afinal, tudo se joga – ele que foi também professor muito querido e ainda hoje recordado da Escola Secundária Serafim Leite, de S. João da Madeira”.

António Magalhães, Ex-diretor do Correio de Azeméis

“Conheci-o como meu professor de Religião e Moral. Mais tarde, no exercício da minha atividade de jornalista, acompanhei o seu trabalho na paróquia de Pindelo. Acompanhou-me, a meu convite, numa visita ao Parlamento Europeu, quando tive a oportunidade de melhor o conhecer. Rigoroso nas suas opiniões, era de trato afável, cuidadoso nas palavras e opiniões. Era um bom conversador. Ficam as boas memórias. Paz eterna”.

Eduardo Costa, diretor do Correio de Azeméis

“Hoje, ainda muitos paroquianos se lembram da sua chegada à paróquia, recordando-o como um Padre sempre muito sensato e preocupado com os jovens. Unanimemente foi, na época e ao longo de décadas, ouvido e apoiado, até mesmo nas obras que idealizou e concretizou. Por isso, a gratidão é unânime e expressa o sentimento para com o sacerdote que sempre acompanhou este povo: Homem pleno de fé e um Homem de unificação, convivência, diálogo e reconciliação. Quando lhe perguntavam por que escolheu ser Padre, respondia que não sabia – o chamamento viera, sentira-se bem e, acrescentava – “a vocação é um mistério, por isso inexplicável. Por tudo isso, que Deus o recompense”.

Paróquia de St. Maria de Pindelo

 

“O dia 27 de janeiro de 2021 será recordado como um dia triste para a população de Pindelo. Nesse dia, partiu para o Pai, o ‘nosso’ Padre Elias. Um Homem de Fé, que chegou à nossa comunidade ainda muito jovem. O mesmo foi uma pessoa colaborante e empenhada no desenvolvimento da nossa freguesia, acompanhando sempre as obras que se foram realizando ao longo da sua permanência na mesma. É de enaltecer a construção do edifício da Junta de Freguesia (obra arrojada para a época), a remodelação do cemitério, o alargamento e os melhoramentos na Avenida José Godinho. Foi ainda um grande impulsionador da Cooperativa de Consumo de Pindelo, da qual era o seu sócio nº1, tendo incentivado os jovens dessa época a tornarem-se sócios e consumidores da mesma. O Padre Elias foi um Homem que muito lutou para que Pindelo estivesse sempre em contínuo desenvolvimento, bastando ver o legado que deixou com a colaboração e apoio de toda a população. Por tudo isto, um muito obrigado Padre Elias”.

José Almeida, representante de Pindelo no executivo da União de Freguesias de Nogueira do Cravo e Pindelo

 

“Tive o privilégio de ter uma convivência com ele muito próxima em situações diferentes da minha vida, pelo que posso testemunhar do tipo de pessoa que tivemos na nossa freguesia ao longo destes anos. Era uma pessoa com ideias muito firmes e muita ambição para a sua paróquia. Viveu e conviveu muito com e para o povo pindelense. A sua grande ambição foi concretizada com a construção da Igreja Nova. Foi com a sua coragem e ambição que a obra se tornou realidade. A sua passagem por esta freguesia ficará na memória de todos quantos o conheceram. Foi uma pessoa que sempre quis o melhor para a sua terra – Pindelo. Partiu um homem bom. O Pd. Elias será para sempre recordado, naquela que foi a sua segunda residência, como homem bom, de grande personalidade, de grande caráter, de grande frontalidade e, acima de tudo, de grande ambição de fazer sempre o melhor para a sua terra que o acolheu de braços abertos”

Ilídio Resende, ex-presidente da Junta de Freguesia de Pindelo

 

“Obrigado, Senhor Padre Elias Rocha. Recordo e ouço os osselenses falar da sua passagem por Ossela, foram cerca de doze anos, onde prestou todos os serviços sacerdotais a esta população. De tudo que conheci, reconheço um grande mérito no seu espírito de missão, mesmo depois de nos deixar, marcava presença em muitas das festividades da nossa terra. Foram várias vezes que estivemos juntos e sempre me recebeu com um sorriso e conversávamos com grande empatia. Deixou-nos e partiu para o Reino dos Céus, foi um excelente Padre e um bom Homem. Os osselenses estão gratos por tudo o que fez nesta Paróquia de Ossela. Que a sua alma esteja em paz, no Paraíso Celeste”

José Santos, Presidente da Junta de Freguesia de Ossela