Foi à luz das velas, numa noite de agradecimento e oração, que Manuel Ferreira, o autodidata dinamizador do Memorial Covid-19 em Carregosa, promoveu mais um tributo ao Serviço Nacional de Saúde e a todos os profissionais da linha da frente no combate ao vírus. Numa altura em que a pandemia já vê algumas melhorias e os eventos presenciais começam a ter lugar com mais segurança, a esperança e o alento assolaram todos os presentes na iniciativa, que pretendia “sensibilizar a população para uma nova luta”: a vacinação.

Segundo Manuel Ferreira, “o memorial, que anteriormente era um espaço de tributo aos profissionais da linha da frente”, sofreu, no último ano, e acompanhando o desenvolvimento da pandemia, uma grande evolução. “Estamos em guerra, mas desta vez contra um inimigo invisível que tem de ser vencido com o contributo de todos”, explicou o autodidata, consciente da sua missão enquanto unificador da população na luta em função de um objetivo comum.
A noite contou ainda com alguns agradecimentos. Manuel Ferreira fez questão de oferecer dois laços de tributo elaborados por alunos de algumas escolas que colaboraram com o projeto. Primeiramente foram homenageadas a associação URATE – União Recreativa Amigos da Terra, a Casa Fiz do Mundo e o Rodas de Oliveira de Azeméis, “todas com um papel imprescindível na linha da frente dos momentos de combate”. Foi também oferecido outro laço ao delegado de saúde de Oliveira de Azeméis, Fernando Loureiro, e ao presidente da câmara municipal, Joaquim Jorge, “pela forma audaz como conduziram o concelho”.
Manuel Ferreira sente-se “grato” pela experiência que tem proporcionado aos oliveirenses e feliz por estar a cumprir o principal objetivo do Memorial Covid-19: a “consciencialização de todos”.

“Sinto que aos poucos estamos a ultrapassar este período negro das nossas vidas e estes 18 meses trágicos. Julgo que hoje as pessoas já têm alguma esperança e confiança no futuro próximo, resultante do processo de vacinação e do seu sucesso. O nosso país é uma referência mundial naquilo que foi o cumprimento rigoroso dos objetivos que estavam determinados”.
Joaquim Jorge, presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis

“Estas homenagem não devem ser feitas apenas aos profissionais de saúde, a pandemia é muito mais do que um médico, um enfermeiro. A pandemia envolve todos os que fizeram sacrifícios em prol dos outros, desde a senhora da limpeza à senhora da administração. É muito importante homenagear-se, também, as pessoas que infelizmente não estão connosco e faleceram devido à Covid-19”.
Fernando Loureiro, delegado de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde Aveiro Norte