“Esta despedida foi rápida e inesperada”

0
42

Depois de uma missa, a despedida ao Padre Manuel Pires Bastos foi cheia de emoção e lágrimas na Igreja de Loureiro. A ilustre personalidade loureirense foi recordada com nostalgia e saudade pela sobrinha, Fátima Bastos, assim como pela Banda de Música de Loureiro, pela Junta de Freguesia e pela Câmara Municipal.

Não houve quem ficasse indiferente na despedida ao Padre Bastos, como era carinhosamente conhecido por todos. Discursos foram feitos e lágrimas derramadas na Igreja de Loureiro, onde a sobrinha do pároco, Fátima Bastos, agradeceu a todos aquela “bela homenagem”. “Ele merecia tudo. Esta despedida foi rápida e inesperada… Sempre pensei que o ia ter até ser velhinha e poder ver toda a informação que ele nos queria deixar. Ele tinha tanto para dar…”, começou por dizer Fátima Bastos, sem conter as lágrimas.
“Aqui, eu acredito que alguém com sabedoria e com capacidade para interpretar as suas ideias, saiba dar rumo aos seus ideais e às suas obras”, apelou, garantindo que fará, assim como a sua família, tudo o que estiver ao seu alcance para que o legado de trabalho e investigação do Padre Bastos fique “para a humanidade”. “Comprometo-me a colaborar com todos para que isso aconteça”, reforçou.
Para o presidente da Banda de Música de Loureiro, há cinco palavras que caracterizavam o Padre Bastos: vocação, sabedoria, simplicidade, humildade e gratidão. “A memória e a casa do Padre Bastos encerram autênticos tesouros do património imaterial e da memória coletiva dos loureirenses. Da memória não poderemos resgatar mais nada, infelizmente, mas da sua casa sim”, afirmou Manuel Terra. “É esta a grande homenagem que, depois do seu desaparecimento, podemos e devemos fazer ao Padre Bastos”, considerou.
A Junta de Freguesia lembrou a homenagem, em vida, feita ao padre em 2019. “Aquela homenagem não foi por acaso e ainda bem que a fizemos. Não foi por acaso porque se tratou de homenagear em vida um loureirense de méritos reconhecidos, cujo trabalho e intervenção cívica se estende além das fronteiras de Loureiro”, recordou o presidente, José Queirós.
Enquanto autarca da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Rui Cabral agradeceu todos os testemunhos. “Não é fácil falar do Padre Bastos às pessoas que têm uma consciência grande daquilo que ele representava e das pessoas que conviviam com ele, como é o meu caso”, afirmou o vereador. “Era uma presença assídua dos loureirenses e era uma referência para mim”, acrescentou, sublinhando: “Há um antes e um depois do Padre Bastos em Loureiro. Havia uma preocupação grande do Padre Bastos desde a sua juventude até ao último suspiro da vida dele em ouvir os outros”.