Num fim de semana atípico depois do cancelamento das atividades desportivas, com exceção dos campeonatos profissionais, Hermínio Loureiro centrou as atenções na decisão governamental de suspender campeonatos e na derrota da Oliveirense em casa da Académica.

A suspensão dos campeonatos de todas as modalidades, a nível nacional e distrital, com exceção da I e II Ligas, foi um dos temas abordados por Hermínio Loureiro no programa ‘Desporto em Análise’ transmitido pela Azeméis FM/TV. Para o comentador desportivo, a decisão foi “tardia e incompreendida” e acarretou “prejuízos para os clubes” que já tinham os jogos e deslocações planeadas. Para Hermínio Loureiro, a única ilação positiva a tirar de toda esta situação foi o comunicado conjunto emitido pelas cinco federações desportivas “a marcar uma posição”.
A tarefa dos dirigentes no panorama desportivo atual também mereceu o reconhecimento de Hermínio Loureiro. “Os dirigentes estão a chegar a um ponto de exaustão. Não vendem bilhetes para os jogos, nem merchandising, nem camisolas ou cachecóis, mas têm despesas assumidas e quando faltam receitas as coisas começam a ficar difíceis”, reconheceu o comentador.
Quanto à II Liga, a derrota da Oliveirense em casa da Académica (3-0) mereceu críticas de Hermínio Loureiro. “A Oliveirense esteve irreconhecível, cometeu demasiados erros defensivos. Pedro Miguel mexeu na equipa, mas as alterações não resultaram muito bem”, analisou Hermínio Loureiro, afirmando que a equipa “tem de se reerguer”.
Domingo (11h15), a Oliveirense recebe o Estoril, um candidato ao título. “Vai ser mais um jogo difícil diante de um Estoril que não quer perder pontos e vai tentar apanhar uma Oliveirense fragilizada”, analisou Hermínio Loureiro, deixando um alerta: “estamos nas primeiras jornadas, mas é preciso melhorar”.

 

O nomeado da semana

Dirigentes desportivos
Os dirigentes desportivos, sobretudo os do concelho de Oliveira de Azeméis, das mais diversas modalidades, mereceram o destaque de Hermínio Loureiro na rúbrica ‘O nomeado da Semana’ “pelo que têm feito, por fazerem das fraquezas forças, mas estão a chegar a um momento de exaustão”. De acordo com o comentador desportivo, os dirigentes desportivos merecem também a nomeação pela “persistência, resistência e resiliência” em prol dos clubes e do desporto.