Demolido o que restava do Centro Vidreiro

0
18

O que restava do Centro Vidreiro foi demolido e esta ação divide as opiniões da comunidade oliveirense. Por um lado, por ser um edifício que possui uma marca identitária do concelho e de uma memória coletiva fundamental enquanto legado histórico dos oliveirenses e que, por isso, não deveria ter sido demolido. Por outro, porque se trata de um edifício degradado, sem funcionar há anos, que deveria ter outro propósito que não a mera estagnação no tempo.

Os últimos resquícios da indústria vidreira do antigo Centro Vidreiro de Oliveira de Azeméis desapareceram para sempre. Em 1947, esta unidade vidreira tinha capacidade para abastecer o mercado português e para exportar excedentes, produzindo, em média, cinco toneladas de vidro por dia. Ao longo de 400 anos, a indústria do vidro marcou o desenvolvimento económico e social do concelho de Oliveira de Azeméis, terra de onde partiram muitos artistas que foram impulsionar a indústria do vidro da Marinha Grande.
No entanto, o declínio da atividade levou à reconversão do setor, e desde a indústria vidreira nasceu a indústria de moldes, sendo os municípios de Oliveira de Azeméis e da Marinha Grande os polos principais. As semelhanças industriais entre os dois polos nas indústrias do vidro e de moldes estiveram na origem de um acordo de geminação, rubricado no dia 07 de fevereiro de 2002.

Imagens do Centro Vidreiro de Oliveira de Azeméis do Arquivo Municipal de Oliveira de Azeméis:

Terreno restante do antigo Centro Vidreiro à venda por mais de um milhão de euros
Ao visitar o portal da imobiliária Imovirtual, por exemplo, é possível verificar que o terreno restante do antigo Centro Vidreiro está à venda pelo valor “negociável” de 1.650,000 euros. A descrição do imóvel não deixa margem para dúvidas: “De acordo com o PDM [Plano Diretor Municipal], as áreas deste terreno correspondem à construção de espaços residenciais”. Neste sentido, trata-se de um terreno envolvido por quatro frentes “com viabilidade de construção com 11.865,5 metros quadrados” e “localizado numa zona extremamente atrativa no centro da cidade de Oliveira de Azeméis”.
Ainda segundo a mesma publicação da imobiliária, a documentação do imóvel – composto por “quatro artigos, entre eles, três urbanos e um rústico” – refere que o mesmo tem 11.865,5 metros quadrados mas, de momento, a propriedade “está a receber um destacamento”, “estando para venda 10.366 metros quadrados da sua área”. Contactada pelo Correio de Azeméis, a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis afirmou desconhecer o proprietário do terreno do Centro Vidreiro de Oliveira de Azeméis que, como se pode confirmar, colocou à venda o espaço que poderá albergar novas moradias.