João Rebelo Martins *

O nosso concelho é conhecido pela sua grande vertente empresarial e industrial: moldes, calçado, colchoaria, metalomecânica, agro-alimentar, apenas enumerando algumas áreas macro, mas que, como sabemos, são capazes de gerar sinergias para muitas outras empresas que fornecem produtos e serviços.
Dadas essas sinergias podemos afirmar, com todo o orgulho, que Oliveira de Azeméis tem um cluster na área dos moldes, outro no calçado e outro nos colchões.
Todo este trabalho é fruto do mérito dos nossos empresários, do saber-fazer, do procurar melhores soluções para as suas empresas e, com isso, lucramos todos: pelos postos de trabalho que são gerados, pelos lucros que vão ajudar ao crescimento da nossa comunidade.
Em tempos disse-se que todo o concelho de O. Azeméis era uma Zona Industrial. Não é factual mas é um conceito; ou seja, temos que dar condições aos empresários para instalarem indústria em todas as freguesias, em espaços que estejam preparados para isso: loteados, com água e saneamento, boas vias de comunicação, acesso a serviços públicos e a transportes públicos.
Foi isso que foi feito?
Este executivo, com os seus mais de 19.000.000€ em caixa, teve um tempo e um espaço únicos para dar condições à indústria e aos seus trabalhadores, mas nada fez.
A ZI de Oliveira de Azeméis e Santiago continua à espera de ser remodelada.
Em Loureiro, a ZI de charneira, ‘porta-estandarte’, capaz de atrair indústrias de grande dimensão, nem uma ligação condigna à EN 224 tem.
A ZI da Costa Má, em S.Roque, apesar de ser uma promessa eleitoral socialista, de ter à frente da Junta um histórico da política oliveirense e um vereador sanroquense, não viu a luz do dia.
É desta forma que se fomenta o interesse dos empresários por Oliveira de Azeméis? É isto que é VITA?

* vice-Presidente da Comissão Política do PSD