O Tribunal de Contas apresentou um relatório que mede o impacto das medidas adoptadas no âmbito da COVID-19, nas entidades da Administração Local. Nós fomos o 15.º com menor investimento por habitante, 0,70€, e o 10.º que menos investiu por infectado, 155€. Isto confirma o que o PSD diz desde o início da pandemia: o investimento da CMOA é parco face à exigência do momento. Este é o momento das pessoas e não do betão e do alcatrão.
Prontamente, o PS local veio dizer que o PSD mentiu. Compreendo que seja incómodo, mas quem elaborou o estudo foi o Tribunal de Contas e não o PSD, e os critérios utilizados foram iguais para todos os municípios.
O PS pretende justificar-se perante a inércia deste executivo no combate à pandemia.
O PS alega que não foram contabilizados vários apoios – IMI? e Investimento em ZI? -, que obviamente o Tribunal de Contas sabe que não são medidas de combate à pandemia; mas sim eleitoralistas, mais ainda quando, ao contrário daquilo que afirmou o Sr. Presidente da CMOA numa conferência de imprensa, não foram executados.
Fazer-nos crer que o concelho é um exemplo é apenas mais uma manobra socialista, porque não é isso que os Oliveirenses sentem:
• Obrigados a pagar estacionamento de superfície;
• Enorme burocracia para as famílias receberem um cabaz de 25 €;
• Coletividades sem apoios devidos;
• Trabalhadores da CMOA não têm direito a equipamentos de proteção individual.
Pequenos exemplos da inércia e incapacidade do município no combate à pandemia, iguais à pequenez com que o Executivo e a retórica do líder do PS olham para a população, tomando os oliveirenses por parvos. Vivemos um clima de desconfiança porque desde Março o Executivo não foi capaz de gerar confiança: pouca informação disponibilizada e presença constante na lista de maior risco de Covid 19.
Fiquemos em casa, é que o nos poderá salvar.
* presidente da comissão política concelhia do psd