CDU ouve os comerciantes

0
57

Depois de visitar o Mercado Municipal de Oliveira de Azeméis, a Comissão Coordenadora da CDU exigiu “respeito pela atividade dos comerciantes” daquele espaço. Ao ouvir as “preocupações”, a “indignação” e a “ansiedade” pela “incerteza do anúncio de fim de atividade” no mercado, os candidatos da CDU consideraram que “é necessário o máximo empenho autárquico” para garantir “o rendimento do trabalho”.
Em nota, através das suas redes sociais, a CDU escreveu que a decisão anunciada da instalação provisória dos vendedores que operam no Mercado Municipal, “resultante de uma opção unilateral”, constitui um ato “cujas consequências poderão ser ruinosas para o pequeno comércio” ali praticado “e de grande prejuízo para o que se realiza na área envolvente”. “Entende a CDU que é obrigação da autarquia encontrar urgentemente solução para a ansiedade gerada nos comerciantes, pelo futuro incerto e pela perspetiva de verem aniquilado o exercício de cada atividade económica”, aponta a Comissão Coordenadora da CDU, acrescentando: “Em defesa da valorização dos rendimentos do trabalho e contra o empobrecimento dos orçamentos familiares, a CDU reclama resposta pública urgente à grave situação criada, dispondo-se a encetar todas as ações que entender adequadas.”
O partido também visitou a freguesia de Cesar, onde contactou com a população e com alguns comerciantes da vila. “Em Cesar, há comerciantes que desejariam ver a Praça da Liberdade com períodos de utilização exclusivamente pedonal, manifestando também desagrado por os ecopontos ficarem bastante afastados”, expôs a CDU. “O contributo da atividade comercial para a economia local e a empregabilidade possível exigem sempre da parte do poder autárquico medidas que possibilitem a dinamização dos lugares com iniciativas que promovam o consumo”, concluiu.