Bombeiros de Fajões “sem dívidas”

Direção quer “gestão equilibrada” em 2021

0
56

Na Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fajões foi discutido e analisado o relatório e contas de 2020, cujo resultado líquido do exercício da atividade tem um valor positivo de 58.983,61 euros.

Marta Cabral

A associação registou, também, que “não tem qualquer dívida” à Autoridade Tributária, à Segurança Social ou a quaisquer outras entidades públicas. As políticas de contenção de gastos, que se têm vindo a verificar, “sobretudo no setor da saúde e transportes de doentes”, têm afetado o normal funcionamento das associações de bombeiros, não sendo a de Fajões “uma exceção”. “Este facto tem provocado uma redução nos rendimentos e, paralelamente, gerado desequilíbrios na gestão dos recursos humanos existentes”, afirmou a Direção da Associação Humanitária no seu relatório de atividades. Segundo a mesma, as contas apresentadas refletem, “com fidelidade”, a situação final do período em análise, tendo a gestão da atividade “sido norteada pelos princípios da racionalidade económica e responsabilidade social”.
Para 2021, a direção dos Bombeiros tenciona “reunir esforços” no sentido de “garantir uma gestão equilibrada” da associação, de forma a conseguir satisfazer os compromissos assumidos.