Azeméis atinge mínimos no desperdício de água

> Valor é “muito abaixo da média nacional”, diz indaqua

0
9

Segundo um comunicado enviado ao Correio de Azeméis pela Indaqua, em 2019, pela primeira vez, Oliveira de Azeméis perdeu “apenas” 17,8 por cento da água que recebeu na rede pública devido a fugas, roturas ou roubos na rede de abastecimento, o que equivale a “quatro meses de consumo de água” em todo o concelho. O valor está “muito abaixo da média nacional (28,8 por cento)”, o que mostra a “contribuição da Indaqua” para a “preservação deste recurso escasso”.
O valor foi divulgado no ranking nacional mais recente da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) e o documento aponta ainda que, em 2019, Portugal desperdiçava, em média, 28,8 por cento de água, valor do qual Oliveira de Azeméis “se distanciou desde há alguns anos”.
“Reduzir os desperdícios de água começa muito antes da poupança que cada um de nós faz em sua casa. É fundamental garantir que é perdido o mínimo possível de água também nas redes que permitem abastecer os oliveirenses, pois dessa forma estamos a contribuir para a sustentabilidade ambiental do concelho e para preservar algo tão escasso quanto a água”, referiu o diretor geral da Indaqua Oliveira de Azeméis, Tiago Fragata. “Este concelho é um exemplo de como uma gestão das redes pode diminuir, rapidamente, os desperdícios. Em apenas cinco anos, já estamos muito abaixo dos 50 por cento registados quando a Indaqua chegou a Oliveira de Azeméis”, acrescentou.