ATLÉTICO APROVEITA TEMPO LIVRE PARA DAR AVANÇO ÀS OBRAS – “É uma época muito desgastante”

0
9

As restrições no desporto continuam a ameaçar os clubes e o Atlético Clube de Cucujães (ACC) não é exceção. “É muito difícil, neste tempo de pandemia, sermos dirigentes desportivos porque não é fácil conseguirmos ultrapassar qualquer situação que nos surge”, afirmou o presidente do ACC, Rogério Cavaleiro, em entrevista no programa Desporto em Análise, com Hermínio Loureiro. “É uma época muito desgastante”, disse.
A falta de receitas próprias, de quotas de sócios e de ajudas de particulares e de empresas tem complicado a gestão do clube face às despesas já existentes e, agora, as extraordinárias de forma a cumprir o plano de contigência apresentado pela Associação de Futebol de Aveiro. O presidente esclareceu que o orçamento delineado anualmente tem por base, “essencialmente”, as receitas. Ainda assim “a Direção fez esforços para conseguir colmatar” certas situações, segundo o mesmo, tais como os imprevistos das obras que decorrem desde há três anos.
“Foram aparecendo algumas surpresas pelo caminho”, avançou ao explicar que foi necessário fazer tudo novo, “sem contar”, na parte de fora do estádio, no valor de 16 mil euros. “A verba que tínhamos canalizada para a parte de dentro teve de vir para fora, depois não chegou para tudo, voltamos a arregaçar as mangas e arranjámos uma comissão de obras, fomos à luta”, clarificou. “Se a época estivesse a decorrer, talvez facilitássemos mais um pouco a situação”, confessou ao adiantar que ainda faltam cerca de 20 mil euros para a conclusão da obra e que, com ajuda, esperam terminá-la em julho.
Esta época, o clube tem duas equipas femininas a competir na 3ª Divisão Nacional. Nas equipas de formação, o Cucujães registou uma quebra de cerca de 80 por cento no número de atletas inscritos, seja por desmotivação, por falta de competição ou pelo medo dos pais na contração do vírus.
O plantel sénior também não se encontra a treinar. “Estávamos a fazer um planeamento da semana e nem sabemos com que adversário vamos jogar”, admitiu, ao ressalvar a atitude da equipa. “Por ser um plantel composto por jogadores unidos, eles estão sempre prontos para as adversidades, estão dispostos a levar o campeonato até ao fim”, concluiu.

Ana Soares