Aproveitar o confinamento para fazer evoluir os atletas

Oliveirense quer reforçar plantel sénior com a ‘prata da casa’

0
68

https://youtu.be/xnvl1xhjjBc

A formação de hóquei em patins está a trabalhar para, dentro de “três ou quatro anos” estar a reforçar o plantel principal com a ‘prata da casa’. A informação foi avançada pelo coordenador das camadas jovens, Raul Alves, e pelo diretor da formação, Avelino Bastos, no programa ‘Desporto em Análise’, conduzido por Hermínio Loureiro, na Azeméis TV/FM.

Ana Catelas

Apesar de todas as limitações importas pelo governo e pela Direção Geral de Saúde, as equipas de formação do hóquei em patins da Oliveirense nunca interromperam a atividade desportiva. Seja no pavilhão ou em casa, à distância, os jovens continuaram a ser acompanhados e a trabalhar a forma física ao mesmo tempo que é adaptado também o treino com stick e com bola. “Dentro das limitações e com muita criatividade temos minorado o estrago e as consequências deste confinamento”, começou por revelar o coordenador da formação unionista, Raul Alves, explicando que tanto os jogadores seniores como o treinador Paulo Pereira têm estado à disposição dos mais novos para, através de videoconferência, responderem a perguntas e para transmitir os seus conhecimentos aos mais novos.
Um quizz, com perguntas com tempo controlado para os jovens terem de decidir rapidamente, e um master chefe, como forma de abordarem a nutrição e a alimentação mais adequada aos jogadores, são outras das atividades que a secção de hóquei em patins tem promovido entre os mais novos.
Com todos os escalões de formação, desde os bambis (sub 7) até aos sub 23, Raul Alves refere, no entanto, que o número de atletas “não é tão elevado quanto gostaríamos”, isto porque, durante a pandemia, os clubes apenas puderam manter os treinos com atletas federados.
Contudo, o responsável pela formação não acredita que as equipas venham a perder atletas pela falta de competição. “Nós trabalhamos a competência, a autonomia e o relacionamento social e passamos a mensagem que o jogo não é um fim, mas um meio para continuarmos a evoluir”, justificou Raul Alves, que procurou tirar proveito deste confinamento e da falta de jogos para trabalhar outros conteúdos, tais como a liderança e a comunicação. “Tirámos os olhos do jogo e conseguimos ir à base e explorar algumas deficiências que existiam na patinagem. O crescimento do atleta em todas as valências é outra das preocupações a par do sentimento de pertença ao clube. Existe um conjunto de princípios como a pontualidade, a assiduidade, a motivação e o elogiar o colega que faz com que os grupos de trabalho sejam mais unidos e ligados em prol do objetivo que, neste momento, é serem um bocadinho melhores que no dia anterior”, salientou.

 

> Clube disponibiliza transporte e todo o equipamento necessário
Oliveirense quer o hóquei no Desporto Escolar para atrair atletas
O facto do hóquei em patins ser uma modalidade em que é necessário fazer um investimento algo avultado por parte de cada atleta na aquisição de equipamentos e em que primeiro é necessário aprender a patinar são, para Avelino Bastos, alguns entraves para quem quer experimentar este desporto. Daí que, para atrair mais praticantes para a Oliveirense, o clube pretende que esta modalidade seja incluída no Desporto Escolar. O projeto estava feito, mas não avançou devido à Covid-19. “A Oliveirense pagava um autocarro para ir buscar os meninos às escolas, eram acompanhados por um treinador nosso e uma pessoa da escola e tinham uma hora e meia de treino na nossa pista”, explicou o diretor do hóquei, recordando que a secção, anteriormente, apostou em levar os jogadores seniores às escolas, mas tal não se revelou viável, uma vez que as escolas não têm pisos adequados para os mais pequenos experimentarem a patinagem.

“Aposta a sério na formação”
Avelino Bastos garante que a Oliveirense tem feito uma “aposta a sério na formação” com o objetivo de reforçar, no futuro, a equipa sénior com atletas da casa sem, com isso, perder a competitividade naquele que é considerado o melhor campeonato do mundo.
“Temos percebido que está na formação uma parte do nosso futuro. Demos dois passos atrás para, daqui a três ou quatro anos, termos elementos da formação a reforçar a nossa equipa sénior”, revelou o dirigente, reconhecendo, contudo, que nem todos os atletas conseguem lá chegar.
“Neste momento, a aposta no Raul deveu-se à obrigação de trabalhar, e trabalhar bem, para que os jogadores venham, de trás, já com bases muito bem definidas”, frisou Avelino Bastos.

Confiança no plantel sénior
Numa abordagem à época da equipa sénior, Avelino Bastos garante que a equipa comandada por Paulo Pereira vai “lutar até à última” em todas as competições em que está envolvida (Campeonato e Liga Europeia).
“A Oliveirense está a jogar bem, tem tido alguns percalços ao nível de lesões, a Covid também afetou alguns jogadores, mas estamos muito confiantes no trabalho deste treinador e em algumas exibições”, confessou o dirigente na entrevista realizada no passado dia 08.
Quanto ao apuramento, este ano, do campeão através do sistema de Playoff, Avelino Bastos refere que “para o público será excelente”, mas antevê “algumas dificuldades” para os clubes que não fiquem nos oito primeiros lugares e vejam, assim, a temporada chegar ao fim mais cedo.