A solução estava no banco

0
13

A Oliveirense venceu a Académica, mas não se livrou de um valente susto. Os ‘estudantes’ obrigaram mesmo os bicampeões nacionais a um prolongamento num jogo em que os três jogadores que saltaram do banco unionista marcaram 45 pontos, entre eles EC Matthews com 34 pontos na conta pessoal.

Privada dos lesionados João Balseiro, Justin Alston e Thomas De Thay, a Oliveirense venceu, no domingo, a Académica que se apresentou no ‘Salvador Machado’ com a lição bem estudada e complicou, e de que maneira, a tarefa dos campeões nacionais, que estiveram grande parte do tempo em desvantagem no marcador. Numa partida emocionante e com incerteza no marcador até ao último apito, a Académica criou muitas dificuldades aos homens da casa, sobretudo em termos defensivos com alguns lances de falta e cesto. Com sete pontos de desvantagem, no segundo período os comandados por Norberto Alves reduziram a diferença para apenas um ponto e assim foram para o descanso.
Com a Académica muito forte no jogo interior, à Oliveirense ia valendo a inspiração de EC Matthews para não deixar fugir a formação de Coimbra
Nesta fase, as equipas iam alternando na liderança do marcador, mas Richardson também estava de ‘mão quente’ da linha dos três pontos e com dois triplos seguidos deu seis pontos de vantagem aos ‘estudantes’ (49-55).
A Oliveirense chegou a estar a perder por 10 pontos no derradeiro período, mas conseguiu recuperar da desvantagem e só por algum nervosismo e precipitação não evitou o prolongamento. No último minuto, José Barbosa assumiu a responsabilidade no lançamento triplo, sofreu falta e da linha de lances livres converteu os três e empatou o jogo, obrigando a um prolongamento. No tempo extra, EC Matthews não tremeu e catapultou a Oliveirense para a vitória com nove dos 13 pontos marcados.