Podemos imaginar, hoje, o ser humano do futuro, o “Futurível HUMANUS?” Vamos
dar uma resposta afirmativa. Sim podemos pensar o homem do futuro.

 

Leia mais na edição desta semana, já nas bancas.